quarta-feira, 13 de junho de 2012

Bate Papo com o Tio #3 - Lanterna Verde beija rapazes

Salve salve sobrinhada querida do Tio... depois de um longo período de incubação (leia-se preguiça de formular um texto), o Bate Papo com o Tio, volta, para falar de uma notícia que A-BA-LO-O-O-OU o mundo das histórias em quadrinhos... a notícia de que o Lanterna Verde é homossexual e além disso beija rapazes.

(Cliquem no vídeo antes de continuar - para entrar no clima)

Bom, prossigamos com a bagaça aqui.


Primeiramente o fato de tal notícia ter causado tanto falatório, demonstra que as histórias em quadrinhos estão cada vez mais inseridas na cultura pop, deixando de ser um nicho único e exclusivo de nerds tetudos que vivem escondidos da luz do sol em seus quartos.

Isso tudo, graças a uma revolução que começou com os primeiros Homem Aranha e X-Men, e que culminou com uma enxorrada de filmes de super heróis nos cinemas.

Pois bem, e justamente essa questão de filmes é que talvez tenha gerado tanta discussão sobre o anúncio da homossexualidade do heróis do anel (UI), afinal de contas tivemos, nem faz tanto tempo assim, um filme sobre o Lanterna Verde certo?

Errado!

Primeiramente, eu queria dizer que se pudesse, eu mandaria para o limbo, esse filme do Lanterna Verde (sim, se vocês procurarem posts antigos no blog, verão que eu aguardava ansiosamente por ele). Iria para o limbo, juntamente com o filme da Geração X (cara.. isso é muito triste), o antigo do Quarteto Fantástico (não procurem por isso na internet), e o do Motoqueiro Fantasma.

Pois bem... voltando ao assunto..

O Lanterna Verde que acaba de assumir sua homossexualidade, não é aquele mesmo interpretado por Ryan "cara de vesgo" Reinolds no cinema.

Esse aí é o Hal Jordan, parte de uma Tropa Interplanetárias de Policiais munidos de poderosos Anéis Verdes que eles controlam pela força de vontade.. é.. falando assim, também não me parece muito hetero não, mas tudo bem.

(Hal Jordam é o cara em primeiro plano)

Não.. o Lanterna Verde que voltou de Narnia (quem entendeu?) é o primeiro de todos eles, Alan Scott, que foi criado em julho de 1940, e era portador de um anel mágico.

(Esse é o cara)

Bom, agora vamos ao porquê desse texto todo...

Eu achei a pior jogada publicitária que a Warner/DC Comics poderia fazer.

Não que eu seja contra a existência de personagens homossexuais. Apenas acho que isso deveria ser feito de forma correta e não simplesmente com um roteirista ou um editor, dizendo: "Ehh.. bem, vejam só... reformulamos nosso universo, e agora esse cara aqui que nunca teve nada de homossexual, vai se revelar".

Mas Tio, eles queriam mudar um pouco a coisa....

Não.. meu pequeno aracnídeo saltitante. O que aconteceu, foi uma reação da DC Comics, ao anúncio da Marvel de que haveria um casamento gay na revista dos X-Men. Uma reação mal formulada e precipitada, apenas para passar a idéia de que eles também tem a mente aberta, não estão presos a velhos paradigmas sociais que estão sendo devidamente revistos.

A diferença, é que o Estrela Polar, o herói que vai se casar na Marvel, é um personagem assumidamente homossexual desde o início dos anos 90, sendo que as histórias retrataram inclusive todo o preconceito que alguém assim, sofria naquela época. O casamento do Estrela Polar, a meu ver, é uma evolução natural do personagem (sim, eu sei que o anúncio foi feito pra aproveitar o momento, etc etc, mas o importante é que o personagem não foi inventado, ou reinventado para isso).

A DC, pega de calças arriadas, não viu isso chegando, até porque, esta sempre foi muito mais defensora dos "bons costumes", da "moral" e do "american way of life" do que a Marvel (é só comparar os heróis das duas editoras para perceber), com sua nova estrutura pensou... "Precisameos remediar isso já!".

O que fazer então? Simples... qualquer marketeiro saberia. Façam um anúncio bombástico... "Um de nossos heróis mais icônicos é gay".

Imediatamente as atenções se voltaram para o Batman, afinal, porque não desconfiar de um multi mega milionário que mora sozinho em uma mansão com um adolescente e um mordomo, que gosta de passar as noites em cavernas escuras com o mesmo adolescente, e que se veste com um colant e sai pela cidade... é... nem vejo muitos motivos pra duvidar da masculinidade do Bátima.... (não se enganem, sou um grande fã dele).

("Vamos Robin, para o Bat-karaokê)

Aliás, o próprio Grant Morrison, roteirista do Morcegão declarou recentemente que o Batman era um personagem hetero, com um conceito gay.... então, como não imaginar que ele seria o escolhido? Ou pelo menos um dos Robins né DC,  sejamos ao menos condizentes.

Mas, é claro, que a editora mais conservadora da galáxia não teria culhões, para uma decisão dessas. E qual a saída? "Vamos dizer que o Lanterna Verde é gay, afinal, ele se tornou um personagem conhecido... MAS, quando todo mundo se chocar, podemos dizer que é justamente aquele Lanterna, que ninguém mais lembra que existe, ou nem sabe que existe."

Então, sinto muito, sou muito mais a favor do casamento do Estrela Polar, ou de personagens como a Sarah Rainmaker (Gen¹³ do Jin Lee), que não foram criados, ou mudados, só pra aproveitar um momento de destaque do assunto na mídia.

Jogada de marketing mal montada da editora.

Sim, o texto ficou longo, mas eu estava com vontade de escrever sobre isso, então, paciência...

Aguardem um próximo bate papo, agora falando do herói mais incompreendido de todos os tempos.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário